Visão Panorâmica da TCI no Brasil Hoje

Visão Panorâmica da TCI no Brasil Hoje
Gravação da palestra da pesquisadora brasileira de Transcomunicação Instrumental Sonia Rinaldi durante o II Congresso Internacional de TCI, ocorrido em 16 e 17 de agosto de 1997, São Paulo.

Visão Panorâmica da TCI no Brasil Hoje

Crédito: Associação Nacional de Transcomunicadores (ANT) Descrição dos organizadores do evento: Tema: “Visão Panorâmica da TCI no Brasil hoje”. Paulistana, profissionalmente atua na área de computação. Por orientação de Dr. Hernani Guimarães Andrade, em 1990, fundou a ANT – Associação Nacional de Transcomunicadores, que passou a dirigir desde então, respondendo não só pela coordenação geral, mas pela emissão dos boletins bimestrais para os aprox. 300 associados. Transcomunicadora, com Estação própria é também autora de muitos artigos sobre TCI; em 1993 em conjunto com Maria Augusta Gouveia, fundaram uma filial da ANT em Portugal; é membro fundador da RITI – Rede Internacional de Transcomunicação Instrumental, que hoje congrega 17 países e na qual ocupa o cargo de Secretário para a América do Sul.

Sonia Rinaldi, uma das maiores especialistas no Brasil em Transcomunicação Instrumental (TCI), nome dado à gravação de vozes e até filmagem de pessoas que já morreram. Sonia comemora um marco em sua cruzada: o primeiro caso autenticado por um laboratório internacional de um contato com um espírito. “O fato mais positivo de tudo isso é que, pelo caminho da ciência ou da espiritualidade, essas comunicações geram um conforto imensurável nas pessoas que buscam contato com os seus entes queridos”, afirma a revista. “E dão respostas para muitas de suas inquietações.”
Segundo a revista, o caso estudado cientificamente por Sonia é o de Cleusa Julio, uma mãe como outra qualquer: não suportava a dor pela perda da filha adolescente, Edna, que morreu há três anos, atropelada por um carro enquanto andava de bicicleta. Dilacerada, procurou a Associação Nacional de Transcomunicadores, presidida por Sonia, e conseguiu estabelecer comunicação com a menina.

Uma das conversas gravadas entre mãe e filha foi enviada há seis meses a um centro de pesquisas em Bolonha, na Itália, o Laboratório Interdisciplinar de Biopsicocibernética, único na Europa totalmente dedicado ao exame e análise científicos de fenômenos paranormais. Junto, foi encaminhada outra fita com um recado deixado por Edna, antes de morrer, numa secretária eletrônica. O resultado, que acaba de chegar, é um surpreendente laudo técnico de 52 páginas, cuja conclusão diz: a voz gravada por meio da transcomunicação é a mesma guardada na secretária eletrônica.

Mais sobre TCI

Deixe uma resposta