Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo

Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo

A palavra possesso, na sua acepção vulgar, supõe a existência de demônios, ou seja, de uma categoria de seres de natureza má, e a coabitação de um desses seres com a alma, no corpo de um indivíduo. Mas, como não há demônios nesse sentido, e como dois Espíritos não podem habitar simultaneamente o mesmo corpo, também não há possessos, segundo as idéias ligadas a essa palavra. Pela expressão possesso não se deve entender senão a dependência absoluta da alma em relação a Espíritos imperfeitos que a subjuguem.

Obsedados e Subjugados

Obsedados e Subjugados

Muito se tem falado dos perigos do Espiritismo. Entretanto, é de notar-se que aqueles que mais gritaram são precisamente os que só o conhecem de nome. Já refutamos os principais argumentos que lhe opuseram, de tal forma que a eles não mais retornaremos; acrescentaremos somente que, se quiséssemos proscrever da sociedade tudo quanto possa oferecer perigo e dar margem a abuso, não saberíamos ao certo o que haveria de restar, mesmo em relação às coisas de primeira necessidade, a começar pelo fogo, causa de tantas desgraças; as estradas de ferro, em seguida, etc., etc. Se admitirmos que as vantagens compensam os inconvenientes, o mesmo raciocínio se aplica a tudo o mais: assim o indica a experiência, à medida que tomamos certas precauções para nos subtrairmos aos perigos que não podemos evitar.

Os Órfãos

Os Órfãos

O filme é um longa-metragem digital para ser exibido em Casas Espíritas.

Carolina perde seu pai, João, aos quatro anos de idade. Órfã, é encaminhada a um orfanato onde fica até completar 18 anos. João, após quinze anos estudando no plano espiritual, tem a missão de ajudar um grupo de três espíritas nas sessões mediúnicas, orientado por sua protetora, Helena, que instrui João na sua nova vida depois do desencarne. Logo ao sair do orfanato, Carolina passa a viver inúmeras situações difíceis, muitas delas, por causa da sua amiga, Rita, mas João e sua Protetora ajudam-na sempre que possível. Carolina, sem ter para onde ir, começa a perambular pelas ruas onde passa por perigos, provações e aventuras.