Jesus, Filho de Criação?

Há poucos dias, eu estava almoçando em Recife, quando na mesa ao lado ouvi um assunto muito interessante. Confesso a você que não sou fofoqueiro, tão pouco me desperta qualquer frisson, saber da conversa de alguém. Todavia, porém, contudo, entretanto, sou muito curioso. Também, se não fosse, não teria apanhado da polícia egípcia, nem sido preso por estar entrando em lugares fechados ao público. E o assunto que o cidadão ao meu lado estava levantando, eu não podia deixar de ouvir. Não tive muito trabalho, porque ele falava alto mesmo.  Ele olhou para o colega em sua frente e falou:  – Sabia que agora eu passei a ler a Bíblia? E o amigo mastigando, curvado sobre o próprio prato, balançou a cabeça negativamente.  Continuou o leitor da Bíblia:  – Pois é… e descobri uma coisa estranha. A genealogia de Jesus não vai até Davi, então por que um doente que queria ser curado, disse: “Jesus, filho de Davi!”?  O interesssado colega de mesa, com a boca cheia, levantou os ombros e mais uma vez negou com a cabeça como se estivesse dizendo: “sei lá!”  O questionador da Bíblia prosseguiu:  – É isso mesmo… Acho que o que estou pensando tem fundamento, pois como pode ele ser da linhagem de Davi, se ele era filho de criação de José?  E o dedicado e profundamente interessado no assunto, o colega de boca cheia, finalmente expressou sua grande opinião:  – Sei não!  O pobrezinho que dialogava com o glutão, baixou a cabeça e voltou a comer sem encontrar o que tanto questionava.  E questionar a Bíblia não pode! Foi isso que escutamos, pois a Bíblia é a palavra de Deus e por isto ela nunca está errada. E ai daquele que disser o contrário!!!  Bem, para você que acredita que a Bíblia sempre está certa, sugiro não ler mais este artigo. Pare por aqui! Muito menos vá dar qualquer atenção aos meus livros de pesquisa, pois para você, com certeza sou maluco e vou queimar no inferno.  Já o nosso vizinho de almoço, o pensamento dele não está completamente em desordem. Ele ainda não pirou! Só não sei se ele vai conseguir enlouquecer, como enlouqueci, mas asseguro que ele está em um bom caminho. O primeiro desencontro dele foi tentar dividir a loucura com um que não é louco e que além disso só enxergava em sua frente, a comida; depois vem um problema maior, a inocência de achar que os outros também se incomodam com os absurdos da Bíblia.  Quem em sã consciência vai dizer que é no mínimo um exagero, Sansão matar mais de 1000 homens com um golpe dado com uma queixada de jumento? Imagine o tamanho do jumento e da queixada? Quem vai questionar o fato bíblico que diz que a mula de Balaão falou com ele? Ou Balaão estava muito doidão e achou na sua alucinação que a mula falava com ele, ou quem sabe ela já fazia parte do sítio do pica-pau amarelo. E ainda aparece gente para tentar explicar este fato, dizendo que aquilo foi um fenômeno mediúnico!  E o maluco sou eu?  Se eu fosse conversar com o nosso amigo de almoço, eu diria a ele o seguinte: em primeiro lugar, a genealogia de Jesus não está ligada a Davi, ela passa por Davi. A que está em Mateus o liga a Abraão e a que está em Lucas se estende até a Adão. Por que isto é importante saber? Porque esta foi uma questão que acirrou ainda mais a disputa entre judeus e cristãos.  Os primeiros cristãos sempre culparam os judeus pela morte de Jesus. E os de hoje, ainda culpam. Foram grandes e cruéis as perseguições que os judeus sofreram por parte dos fervorosos seguidores de Cristo, “os salvos”, “os bonzinhos”. Já nos primeiro e segundo séculos, o ódio era intenso. Haviam escritos circulando tanto por parte de judeus difamando cristãos, quanto de cristãos caluniando judeus. Um destes dizia assim: “os judeus passam por circuncisão, pois assim Deus determinou para poder encontrá-los quando desejasse extingui-los”! Um outro escrito proclama que foram os judeus que assassinaram Jesus em plena Terra Santa, enquanto os judeus se defendiam dizendo que foram os romanos e que para eles (judeus) Jesus não era o Messias de suas profecias e morreu como um agitador.  Com o intuito de dar resposta aos judeus, os cristãos procuravam indefinidamente fazer ligações entre o passado do povo judeu com a figura de Jesus para asseverarem: “estão vendo, a história dele parece com a do maior líder de vocês, o Moisés” ou então: “Viram que Jesus nasceu em Belém, de onde vem também Davi? E não é isto o que dizem os seus profetas?” e mais: “se deram conta agora que pelo fato de Jesus ser judeu, ele vem da descendência de Adão e de Abraão, então por que não aceitá-lo como o Messias?”  Ou seja, saíram arrumando ali, sumindo com texto aqui, adulterando acolá, enxertando passagens da Torá em vários lugares dos evangelhos para garantir que Jesus fosse o Messias esperado pelo povo judeu a fim de que a única e exclusiva culpa de sua morte, recaísse com mão de ferro sobre os filhos de Abraão. Ao mesmo tempo inciou-se uma Era neurótica-obsessiva de que a salvação do mundo dar-se-ia pela aceitação de “Nosso Senhor Jesus Cristo” como único Salvador.” Ou seja, o mundo inteiro terá que se dobrar ao Cristianismo se quiser um lugarzinho no Paraíso.  As pesquisas históricas já demonstram que Jesus não nasceu em Belém, mas em Nazaré, um povoado que na época contava com um pouco mais de 800 pessoas. Há quem cogite a possibilidade dele ter nascido nas cercanias de Nazaré, e já se sabe que as chances são mínimas de que ele tenha qualquer ligação com Davi. Ao contrário do que diz a Bíblia, ele não se chamou Emanuel, mas Yehoshú’a e não era filho único (unigênito), mas deveria ter por volta de seis ou sete irmãos e irmãs. E o mais interessante de tudo, ele não era filho de criação!  Se fosse nos dias de hoje, bastaria um exame de DNA. Até eu pagaria o teste para acabar logo com esta angústia acerca de quem é o pai do menino. Imagine você agora esta situação social: se uma mulher em adultério era apedrejada, o que não ocorreria a uma mulher, mãe solteira, cuja origem do pai da criança, ela dissesse a todos que era obra e graça do Espírito Santo, ou que foi Deus ou até um anjo quem a fecundou? Ou que simplesmente dissesse: “eu não sei quem é o pai!” O que então fariam com ela?  Bem, certa feita em conversa com um sacerdote católico que é também professor de universidade, eu lhe mostrei as descobertas arqueológicas, as contradições da Bíblia e lhe perguntei: e agora padre, como fica? Ao que ele me respondeu: “meu filho, a História pode provar que Jesus não nasceu em Belém e que é filho de José e Maria, mas a minha fé sempre irá me dizer que ele é filho de uma virgem e que seu Pai é Deus. A História, a Ciência podem ficar à vontade para provar isto ou aquilo, particularmente não vejo sentido, mas eu só creio no que diz a minha fé.”
   Com esta resposta tão entusiasmada, restou-me apenas agradecer-lhe a atenção e compreender que para muitas pessoas a  não pode encarar a Razão, e que o lugar seguro em que nos agarramos como se fosse a última bóia do Titanic serve muitas vezes para não enlouquecermos e não para nos salvarmos.
   Por isso eu ter dito que aquele questionador que se preocupava com a origem de Jesus, durante o almoço, está em um bom caminho para enlouquecer. Só não sei se ele irá soltar a bóia completamente. Eu já soltei a minha, e você?

Liszt Rangel

http://lisztrangel.blogspot.com.br/2012/05/jesus-filho-de-criacao.html

Publicado por Franciene Gonçalves em Julho de 2014

3 thoughts on “Jesus, Filho de Criação?

  1. Comentário de José Luiz Rainho em 2 julho 2014 às 18:51

    Muito bom o artigo… A minha boia eu larguei com 8 anos de idade quando ia ao catecismo e fiquei de castigo por matar a aula. Qual foi o meu castigo? Escrever 10 vezes o Pai Nosso e 10 vezes a Ave Maria… Pois bem. Escrevi e paguei o castigo, mas, no final o meu castigo só estava começando pois, no Domingo seguinte fui repreendido pela professora que me disse que eu escrevi 10 Pai Nosso, mas, escrevi o Pai Nosso que estava na bíblia de crente. Imagina! Eu respondi: Mas o Pai Nosso que os crentes rezam e os católicos não tem o mesmo sentido? Para minha surpresa tive que ficar como coroinha do padre por ter escrito 10 Pai Nosso de crente…. Não gostei nadinha disso! Tudo contra a minha vontade aí, larguei a boia … A única certeza que eu tenho é que Mestre Jesus Cristo é filho biológico de José com Maria isso eu tenho total certeza. Ele veio, se iluminou e ainda nos ensinou o caminho da iluminação sem pedir honra e gloria alguma pra Ele.

  2. Comentário de Léo Lopes Filho em 3 julho 2014 às 1:38

    Ótimo artigo, eu pessoalmente já soltei a boia e as amarras, à décadas. Sou um livre pensador filosófico e tenho Jesus não o Deus inatingível, e dono de todas verdades, mas sim, como o espírito mais elevado de nosso planeta, onde filosoficamente, através de suas parábolas e exemplos, nos fornece material suficiente para nossas humildes reflexões e estende a luz do seu saber, para muitos momentos difíceis em que precisamos encontrar a nossa própria verdade, resposta, caminho a ser seguido, mas nunca nos obriga a nada, nem nos induz a nada, apenas orienta pelo amor e saber que possui, Seu Espírito Iluminado pelo bom senso e pela equilibrada maneira do não julgamento.

    Léo

  3. Comentário de Joyce dos Santos em 3 julho 2014 às 16:39

    Mais um excelente texto de Listz Rangel.
    O rapaz questionador está num bom caminho. É questionando e refletindo sobre todas as coisas que crescemos intelectualmente e desenvolvemos nosso discernimento para bem exercermos nosso livre-arbítrio.

Deixe uma resposta