You need to log in to create posts and topics.

Os Espíritos podem revelar o futuro?

Os Espíritos só conhecem o futuro em razão de sua elevação. Os inferiores nem o seu próprio futuro conhecem; e, com mais forte razão, ignoram o dos outros. Os Espíritos superiores o conhecem, mas nem sempre lhes é permitido revelá-lo. Em princípio e por um sábio desígnio da Providência, o futuro nos deve ser oculto. Se o conhecêssemos, nosso livre arbítrio seria entravado.
A certeza do êxito nos tiraria a vontade de fazer qualquer coisa, porque não veríamos a necessidade de nos darmos a esse trabalho; a certeza de uma desgraça nos desencorajaria. Contudo, casos há em que o conhecimento do futuro pode ser útil; entretanto, jamais poderemos ser juízes de tais casos. Os Espíritos no-los revelam quando o julgam conveniente e quando têm a permissão de Deus. Então o fazem espontaneamente, e nunca a nosso pedido. Devemos esperar a oportunidade com confiança e, sobretudo, não insistir no caso de recusa, pois do contrário arriscar-nos-íamos a tratar com Espíritos levianos, que se divertem à nossa custa.

Escrito por Allan Kardec na Revista Espírita -segundo ano - 1859
Publicado por Luiz Carlos da Silva
Março de 2012

Resposta de Míriam M. Moraes em 4 março 2012 às 10:42

Se nosso futuro viesse previamente escrito, então não seríamos seres dotados de escolha, mas robôs teleguiados. Penso que por isso algumas visões dão certo outras erradas, porque tudo depende do livre arbítrio para seguir de uma forma ou outra. Bobagem procurar o futuro quando deveríamos nos concentrar no presente, sobre o qual temos poder de atuação.

Resposta de Marina Adelaide Correia da Silva em 4 março 2012 às 11:20

Com certeza se soubéssemos com antecedência sobre o nosso futuro sofreríamos duas vezes, e não poderíamos exercer o nosso livre arbítrio, que nos permite o verdadeiro resgate das nossas dividas. O importante é termos consciência que a cada existência teremos oportunidade de aprender e apreender visando a nossa evolução, o futuro... Para que saber com antecedência?

Resposta de Luiz Carlos de Araújo em 4 março 2012 às 13:03

Partindo do princípio de que nós somos quem construímos nosso próprio futuro, nada poderia ser revelado. Qualquer determinismo de nosso futuro, confronta o livre arbítrio. Afinal, possuímos o livre arbítrio ou tudo já está determinado? Tudo a seu tempo ou quem sabe faz a hora e não espera acontecer? Determinismo e livre arbítrio caminham juntos guardando uma proporcionalidade? As vezes somos contraditórios ou não entendo mais nada, se é que um dia entendi. Abraços!

Resposta de Luiz Carlos da Silva em 4 março 2012 às 13:31

Caro amigo Luiz Carlos de Araújo, de acordo com a Doutrina somente dois fatores influenciam o nosso destino:
O nosso livre arbítrio e o tipo de prova escolhida. O resto é pura fantasia.
Um abraço.

Resposta de Roberto Cruz em 4 março 2012 às 19:11

Concordo em parte e respeito a opinião de todos, porem no percurso de minha vida no estudo e na curiosidade espirita, estive com pessoas que totalmente acertaram fatos que ocorreram em minha vida, porem foram fatos que me foram revelados que foram acontecer 5 anos ou mais partindo daquele momento. Existem pessoas com o poder de se comunicar com alguém ou alguma entidade do outro lado que revele acontecimentos que ocorrerão, porém como para eles o tempo não existe então datas e tempo nunca são determinados. Infelizmente ou felizmente, ninguém e dotado de sabedoria suprema, e por isso que estamos aqui em mais um período para tentar a evolução, acredito fielmente que todos e cada um de nos, já vem com o destino e as situações previamente escolhidas e não existe livre arbítrio que possa determinar uma mudança total dessa trajetória! Somos enviados para esse Planeta(penso eu) apos varias considerações, cálculos matemáticos incríveis, total uso das influencias planetárias em nossos pontos negativos que teremos que trabalhar e nos positivos que nos impulsionam a cumprir o que nos foi planejado com nosso acordo ou não!! Já tive certeza de estar usando o meu livre arbítrio da maneira correta, e depois descobri que realmente não estava, isso tudo só veio a provar para mim mesmo, que não e o que queremos, e sim o que já esta programado para nos!! Que o amor divino abençoe a todos!!

Resposta de Míriam M. Moraes em 4 março 2012 às 22:48

Luiz Carlos e Roberto Cruz.

Temos aí duas visões diferentes, o Luiz afirma que tudo o mais é fantasia e Roberto fala de uma experiência pessoal. Como toda opinião é bem vinda, vou revelar aqui uma crise que quase me pirou por dois anos, até eu aceitar que não tenho respostas para tudo. Ainda bem jovem, estava indo para a casa de uma amiga que deu faniquito para parar numa vidente. Eu, espírita, sem a menor paciência para aquilo, fiquei esperando impaciente. A mulher disse que não viu nada no quadro dela mas que teve uma visão completa sobre mim. Saí de lá ironizando minha colega e esqueci o assunto. Décadas mais tarde, quando estava aparando a sobrancelha do meu marido, lembrei de tudo o que ela havia previsto, meu primeiro casamento desastrado, do qual teria um filho e um desfecho ruim, o segundo marido com sobrancelhas muito fartas e a filha que teríamos, tinha feito uma descrição física perfeita de todos e de todo o desenrolar da minha vida até ali. Aquilo foi um choque, não fazia sentido. Mas os detalhes eram perturbadores. Procurei palestrantes e livros espíritas que clareassem aquilo e não cheguei a lugar algum. Eu não tinha, então, feito minhas escolhas? Como elas me levaram exatamente a um ponto antes narrado? A calma retornou para mim quando passei a imaginar que possivelmente muitos resgates e encontros já estejam traçados, e talvez a vida espere de nós o equilíbrio para atravessar cada fase e agir da melhor forma possível, sepultando conflitos antigos e transformando as relações. Imagino que um monte de leitores devem estar me achando maluca, mas não me exporia a isso se não tivesse aparecido aqui o Roberto Cruz contando algo semelhante. Se tiver que levar pedradas, Roberto, estaremos juntos nessa, porque mesmo não entendendo nada, sei bem que o acontecimento, apesar de estranhíssimo, foi desconcertantemente real.

Resposta de Luiz Carlos da Silva em 5 março 2012 às 0:10

Cara amiga Míriam Moraes. A mediunidade de vidência é um fato, o que não devemos fazer é sair por ai consultando os espíritos, como o próprio texto diz, os espíritos nos revelam espontaneamente quando julgam necessário.
Eu chamei de fantasia as coisas que muita gente acredita que pode mudar o curso de nossa vida independentemente do nosso livre arbítrio e do tipo de prova por nós escolhida antes de reencarnarmos. Obs: O nosso livre arbítrio é limitado pelas nossas provas, somente os espíritos puros tem o seu livre arbítrio absoluto porque já saíram do circulo das provações.
Espero ter esclarecido. Um abraço.

Resposta de Rui Corrêa Parente em 14 novembro 2013 às 19:35

Gostaria de dar a minha participação.
Este é um assunto complicado de abordar.Explicar e discernir. Porque envolve muitas variáveis.E com muitas variáveis não podemos ficar presos a um determinismo único. Ou ficar presos a uma lei geral de fatalidade dos acontecimentos que virão ocorrer!

Concordo em parte quando se diz:
"Se nosso futuro viesse previamente escrito, então não seríamos seres dotados de escolha, mas robôs teleguiados".

Não podemos por isso absolutizar essa ideia acima. Não somos robôs, o que acontece que é criamos sementes que não podemos evitar de colhê-las! A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória! Muitas vezes, no momento presente, não estamos "vendo" as sementes que irão brotar no futuro, que antes lançamos no passado! Não é o futuro que está escrito é o passado que irá se manifestar, em uma ordem dada. Portanto não é fatalidade! Outros irmãos espiritas no plano espiritual ou não, conseguem ver(antecipadamente, por vidência ou intuição espiritual) a caminhada de nossa trajetória evolutiva, para não ter que dizer: "o plano espiritual o sabe"!
Tudo é relativo. E pode ser útil ou não saber o futuro. Saber o futuro ou o passado pode ajudar ou atrapalhar.Depende como iremos trabalhar com essa informação nos melhorando ou não! As vezes, nem conseguimos suportar saber! Realmente conseguir acreditar por não estarmos preparados! Nem tudo está escrito, é uma verdade, e também muita coisa está escrita também, o que é outra verdade. Muita coisa está escrita para serem cumpridas, mas não são ditas! Nem por isso precisam serem escritas ou faladas. Ou estão em um "livro sagrado". Por isso afirmei, não absolutizar essa ideia ou verdade!
O futuro é uma caminho livre e sem traçado. Desde que eu não tenha provas para passar ou libertei-me de praticar ações negativas ou demeritórias que me obriguem a refazê-lo! Livre de carma ou em harmonia com a lei posso olhar o meu passado ou futuro, sem medo!
Porque revelar o passado ou o futuro para quem não esta preparado para isto? Falar quando não é necessário. Se for para ajudar deve-se falar,caso contrário é melhor não dizer nada!